Desnutrição silenciosa no idoso

Desnutrição silenciosa no idoso

Nutrição
Nutrição

A população idosa é particularmente propensa a problemas nutricionais devido a fatores relacionados com as alterações fisiológicas e sociais, ocorrência de doença crônica, uso de várias medicações, problemas na alimentação (comprometendo a mastigação e deglutição), depressão e alterações da mobilidade com dependência funcional.

No envelhecimento o organismo sofre alterações que podem afetar a ingestão e digestão adequada dos alimentos, bem como alterar os níveis de absorção de alguns nutrientes para a manutenção da saúde. A deglutição começa a se tornar lenta após os 45 anos de idade e, por volta dos 70 anos, é ainda mais lenta, quando comparada a indivíduos jovens. Abaixo estão listados alguns itens descrevendo quais os motivos que a desnutrição pode ser desenvolvida de maneira silenciosa com o passar da idade:

Diminuição do número de papilas gustativas e da sua eficácia, bem como diminuição da secreção da saliva. Dessa forma, frequentemente se observa a perda de apetite, isso porque os receptores gustativos e olfativos têm sua função diminuída, comprometendo a qualidade estimulante do apetite;

Diminuição da motilidade do trato digestivo, fazendo com que haja uma lentidão do esvaziamento gástrico e, consequentemente, o aumento da saciedade, o que pode comprometer a ingestão de nutrientes e levar à desnutrição;

Diminuição do metabolismo basal, redistribuição da massa corporal, alterações na percepção sensorial e diminuição da sensibilidade à sede. Com exceção das duas primeiras, todas as outras podem interferir, diretamente, no consumo alimentar, podendo levar até a um quadro de anorexia, que é a principal causa de desnutrição no idoso;

Outro grave problema que está presente em uma grande parte da população idosa é a depressão. Os sintomas depressivos estão relacionados com componentes emocionais e biológicos: aflição, apatia, baixa autoestima, perda da libido, distúrbio do sono, perda do apetite, entre outros. Contudo, a saúde mental é indispensável para o bem-estar geral do indivíduo e, portanto, o diagnóstico de depressão e a correta terapia se tornam de extrema importância para os idosos. Este estado emocional depressivo pode levar à redução da ingestão alimentar de forma insidiosa, contribuindo para o aparecimento da desnutrição nesta população;

Outro ponto importante a ser observado é a saúde bucal, pois a perda dos dentes e outras afecções da cavidade oral podem causar dor e dificuldade para mastigar e deglutir, estando também associadas com a desnutrição.

Portanto, é fundamental uma atenção maior aos hábitos alimentares do idoso, a fim de evitar distúrbios futuros decorrentes desta.

Referências
1 - Mota, Sâmia Macedo Queiroz, et al. "Imunossenescência: alterações imunológicas no idoso." Rev Bras Med 67.6 (2009): 183-188.
2 - Michelon L, Cordeiro Q, Vallada H. Depression. Rev Bras Med 2008 65:15-25.
3 - Zorrilla EP, Luborksy L, McKay JR et al. The relationship of depression and stressors to immunological assays: ameta-analytic review. Brain Behav Immun 2001 15(3):199-226
4 - Campos MTFS, Josefina Bressan Resende Monteiro JBR, Ornelas APRC. Factors that affect the aged people food intake and nutrition. Rev Nutr 2000 13(3):157-65.
5 - Viana, AC; Fumagalli F. Desnutrição do idoso e saúde público no Brasil. Disponível em: http://www.aems.edu.br/conexao/edicaoanterior/Sumario/2012/downloads/2012/saude/DESNUTRIÇÃO%20DO%20IDOSO%20E%20SAÚDE%20PUBLICA%20NO%20BRASIL.pdf acessado em 09/02/2017

veja também

;