Estresse e alimentação

Estresse e alimentação

Nutrição
Nutrição

Todos nós todos já passamos por algum tipo de estresse, e como lidar com ele pode fazer toda a diferença na sua vida. O gerenciamento do estresse pode ser uma ferramenta poderosa para o bem-estar; e para isso existem diversas estratégias, entre elas, a alimentação.

Os alimentos podem ajudar no combate ao estresse de diversas maneiras, desde uma simples sensação de conforto proporcionado por uma tigela de mingau de aveia quente que aumenta os níveis de serotonina (através do triptofano), conhecida como “calmante” do cérebro; até na diminuição do cortisol e adrenalina- hormônios relacionados ao estresse. Uma dieta saudável pode ajudar a combater o impacto dele na saúde, através da diminuição da pressão arterial, controle do açúcar, melhora do sistema imunológico e otimização do uso da serotonina pelo cérebro. Para um fornecimento estável da serotonina, é importante comer carboidratos complexos, que levam mais tempo para serem digeridos, como grãos e cereais integrais como: chia, linhaça, batata doce, grão de bico, inhame, farinha de amaranto, castanhas, granola, coco, tapioca, mandioca entre outros.

Consumir vitamina C também é importante no combate ao estresse. Estudos sugerem que esta vitamina pode reduzir os níveis dos hormônios do estresse, enquanto fortalece o sistema imunológico. Além disso, um estudo realizado com hipertensos comprovou que houve redução importante dos níveis da própria pressão arterial e níveis de cortisol, após a ingestão de vitamina C antes de uma tarefa estressante. Magnésio é outro micronutriente essencial no combate ao estresse; a sua falta pode gerar fadiga e dores de cabeça. Uma xícara de espinafre ou outros vegetais de folhas verdes são boas fontes de magnésio além da soja cozida e salmão.

Pistache, bem como outras nozes e sementes, são boas fontes de gorduras saudáveis. Elas auxiliam na redução do colesterol, reduzem a inflamação nas artérias do seu coração, diminuem o risco de diabetes, e te protegem contra os efeitos do estresse. Ainda dentro desse grupo: as amêndoas são repletas de vitamina E -essenciais para reforçar o sistema imunológico, além de vitaminas do complexo B, que auxiliam no metabolismo energético, gerando uma maior resistência durante crises de estresse.

Os ácidos graxos do tipo ômega-3, encontrados em peixes como salmão e atum, podem prevenir picos de hormônios do estresse e, por isso, podem ajudar a proteger o seu organismo contra doenças cardíacas, depressão e até síndrome pré-menstrual (TPM). Para um consumo ideal de ômega-3, é aconselhado a ingestão de desses peixes citados acima, pelo menos, 3 vezes por semana.

Portanto, alimentar-se bem é essencial para combater o estresse e garantir uma melhor qualidade de vida!!

1 -Columbia Health, Go Ask Alice: "Serotonin and foods?"
2 - EatRight.org: "Good Mood Foods to Fight Winter Blues."
3 - Gebauer, S. The American Journal of Clinical Nutrition, September 2008.
4 - Kansas State University: "Stress and Nutrition."

veja também

;