Nutricao
e energia

QUAIS E COMO ATUAM OS NUTRIENTES

Nutridrink MAX é um suplemento nutricional completo e balanceado, com macro nutrientes em quantidades adequadas (carboidratos, proteínas e gordura), além de 29 vitaminas e minerais. Nutridrink MAX é um suplemento completo e balanceado com:

  • Calorias adequadas para auxiliar na manutenção do peso e para ter mais energia;
  • 15g de proteína por dose, auxiliando no aporte proteico diário;
  • Fibras prebióticas, que auxiliam no funcionamento intestinal;
  • Perfil de gorduras de acordo com a da Sociedade Brasileira de Cardiologia;
  • Vitamina D e Cálcio, que auxiliam na manutenção de saúde dos ossos e músculos;
  • Nutrientes antioxidantes, como vitaminas A, C e E, selênio, zinco, manganês e cobre,que auxiliam no combate aos radicais livres, protegendo nossas células;

Contém apenas 0,3g/100mL de lactose.

Efeitos da idade na nutrição

Efeitos da idade na nutrição

Bibliografia

1. Ramos, Luiz R., et al. "Estudo de seguimento por dois anos de idosos residentes em São Paulo, Brasil: metodologia e resultados preliminares." Revista de Saúde Pública 32.5 (1998): 397-407.

2. De Marchi, Renato José et al. Association between oral health status and nutritional status in south Brazilian independent-living older people. Nutrition , Volume 24 , Issue 6 , 546 - 553

3. Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF). 2008-2009. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2008_2009_aquisicao/pof20082009_aquisicao.pdf

4. Marchini JS, et al. Medicina, Riberão Preto. 1998; 31: 54-61.

5. Stuck, Andreas E., et al. "The PRO-AGE study: an international randomised controlled study of health risk appraisal for older persons based in general practice." BMC medical research methodology 7.1 (2007): 1

6. Vaisman N et al. Enteral feeding enriched with carotenoids normalizes the carotenoid status and reduces oxidative stress in long-term enterally fed patients. Clin Nutr. 2006 Dec;25(6):897-905.

7. Byers KG and Saviano DA: The myth of increased lactose intolerance in Africans-Americans. J Am Coll Nutrition 24:569S, 2005.

8 LEVY, R.B. et al. Distribuição regional e socioeconômica da disponibilidade domiciliar de alimentos no Brasil em 2008-2009. Rev. Saude Publica vol 46 no.1, 2012.

9. PADOVANI. R, M. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nacionais. Rev. Nutr Campinas. 19(6): 741:760, nov/dez. 2006.

10. PHILIPPI, S.T. et al. Pirâmide Alimentar adaptada: Guia para escolha dos alimentos. Rev. Nutr. Campinas, 12(1): 65-80, jan-abr 1999.

11. COPPINI, L.Z. Recomendações Nutricionais para adultos em terapia nutricional enteral e parenteral. Projeto Diretrizes, 25-34, 2011.

12. I Diretriz sobre consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular. Arq Bras Cardiol, 2013; 100(1Supl.3):1-40

13. BIANCHI, M.L., ANTUNES, L.M.G.Radicais livres e os principais antioxidantes da dieta. Rev. Nutr Campinas, 12(2): 123-130, mai/ago, 1999.

14. Morley, J. et al. Nutritional Recommendations for the Management of Sarcopenia. J Am Med Dir Assoc. 2010 July ; 11(6): 391–396

15. Análise de composição nutricional. Eurofins do Brasil Análises de Alimentos Ltda, junho 2016.

16. Erick B.G et al. Relationship between MNA and SF-36 in a free-living elderly population aged 70 to 75. J Nutr Health Aging. 2005 Jul-Aug; 9(4):212-20

veja também